Badauê

 

Se o Carlota é o meu restaurante preferido em São Paulo, o Badauê é o meu restaurante preferido EVER.

 

 

 

Explico: além das razões objetivas que vou apresentar daqui a pouco, ainda por cima ele tem um componente afetivo-pessoal bem importante na minha vida (não sou parente nem nada dos donos, já esclareço, mas também não vou entrar em detalhes dos motivos pessoais).

E fica na praia. E a praia é o meu lugar preferido. Não tem lugar em que eu me sinta mais relaxada. Com certeza é O destino de finais de semana, feriados e férias, pelo menos para mim.

Então, minha visão de lá é um pouco distorcida – para melhor. Perdoe, sou uma mulher que adora o lugar.

 

Eles passaram por um período difícil, logo que perderam a chef-estrela (que era uma cozinheira talentosíssima vinda do Manacá; enquanto ela esteve no Badauê, ele viveu seus momentos de auge e depois da saída dela ainda não voltou a ser o mesmo, embora tenha melhorado E MUITO nos últimos tempos – último ano-, voltando a ser uma ótima e constante mesa depois de um período um pouco irregular). Freqüento com certa regularidade o lugar, então posso afirmar que ele está em um bom momento para ser visitado (a essa altura do ano passado eu não recomendaria de modo tão enfático; a essa altura de 2005 eu praticamente obrigaria você a ir lá… entendeu o espírito da coisa?).

 

 

Mas vamos às últimas visitas (sim, porque no último final de semana passado na praia, jantamos lá na sexta-feira e no sábado).

 

Em primeiro lugar, o ambiente.

É um lugar pé-na-areia, que inclusive funciona durante o dia, tendo mesinhas (charmosas) na praia, onde o povo fica tomando sol. Você pode escolher sentar na areia ou no deque. Nunca experimentei a areia – as mesas são bem baixinhas, acho que seria desconfortável sentar ali para jantar.

O deque é amplo e tem uma boa parte ao ar livre. Existem duas grandes árvores no local, no meio do deque. Nos dias de chuva, eles fecham um pedaço, e nos dias de frio, colocam aquecedores. Nas noites quentes, é perfeito.

 

Os móveis são de madeira rústica, pesadona. Dentro da pequena área fechada, e também na área externa, existem dois balcões daqueles super-rústicos que são lindos de morrer. As almofadas coloridas ali e aqui (peça uma para os garçons se você não quiser sentar direto na cadeira) e as velas espalhadas pelas mesas completam o clima.

E tem a brisa e o barulho do mar…

 

O serviço

Sensacional. Super eficiente porém discreto. A equipe toda é super bem treinada, mas eu prefiro o Jonas e o Daniel. Eles são muito atenciosos, e o Jonas – que é o garçom mais antigo do lugar – tem sempre umas sugestões ÓTEMAS de pratos que não constam do cardápio. As sugestões dele são aquelas preparadas com o que tinha de mais fresco no dia, sabe? Todos os garçons, se solicitados, fazem sugestões, mas o Jonas é mais criativo que os outros.

 

As bebidas

Prove das caipirinhas. São muito boas. Não tem aquelas combinações criativas, mas são super bem executadas, e combinam perfeitamente com o clima. No final de semana provei a minha preferida, a de frutas vermelhas.

A carta de vinhos é o ponto fraco do lugar, são poucas as opções. Mas dá para levar de casa numa boa, e o preço da rolha é justo.

 

As comidas

Vou descrever os pratos que pedimos no final de semana (foram dois jantares):

 

1. Entradinhas

– ika roll – lulas recheadas com shimeji, feitas na grelha, servidas com molho tare. As lulas estavam carnudinhas, combinando superbem com os cogumelos. E o molho, executado perfeitamente.

– robata de abobrinha – abobrinhas na grelha, suculentas, no ponto certinho. O mesmo molho tare, muito bom.

– robata de camarão – decepcionou. Deixaram passar do ponto, e os camarões, de bom tamanho, chegaram à mesa ressecados e duros. Reclamamos, eles pediram desculpas e não cobraram.

 

2. Pratos

– risoto de frutos do mar – pense em uma coisa DELICIOSA. Mas digo assim, deliciosa. O arroz al dente, cozido perfeitamente no ponto, com toda a cremosidade que merece um bom risoto. Frutos do mar em profusão – lula, polvo, marisco e camarão – todos de bom tamanho, todos macios, todos no ponto certo. Um clássico do lugar, e dessa vez, como sempre, não decepcionou.

(depois desse risoto, eu pedi risoto de frutos do mar umas duas vezes em outros lugares, até aceitar a realidade e desistir… nenhum ganhou dele, e acho que nenhum vai ganhar)

 

– badejo grelhado com molho à provençal acompanhado de risoto de frutos do mar – os peixes deles são uma COISA. Sabe aquele peixe superbranco, filé alto, com uma casquinha crocante? Então, foi assim que ele chegou à mesa. Fresquíssimo, chapeado no ponto certo. Com um molhinho provençal suave na medida, que temperou sem apagar o sabor do peixe. E acompanhado desse risoto daqui de cima.

 

– lagostins grelhados – é o novo prato-fetiche de marido. São lagostins carnudinhos, grelhados, que vêm em um molho de tangerina, docinho, mas um pouco forte para o meu gosto (eu acho que acaba encobrindo um pouco a delicadeza do sabor do lagostim). Acompanhando, risoto de brie com berinjela – sensacional. Eles sabem fazer risoto por lá, e este vem com umas beringelas meio que caramelizadas, muito, mas muito boa. E com um monte de brie, que eu adoro.

(este prato não está no cardápio e não é sempre que tem, depende da disponibilidade dos lagostins)

 

– badejo grelhado com frutos do mar a provençal – é uma variação do outro badejo. Este veio um filé do mesmo tipo: alto, fresco, com uma fina casquinha. Os frutos do mar – lulas, polvos, camarões, mariscos – vêm em um molho provençal bem leve, cobrindo o peixe. E acompanha um risoto de palmito, simples e bem executado. Este prato é imeeeenso. Dependendo da fome dá para dividir numa boa.

 

Como sempre, não conseguimos chegar na sobremesa – nem na sexta, nem no sábado.

 

Como você já deve ter percebido, adoro o lugar e recomendo mesmo.

 

Quanto gastamos – sempre que vamos lá, levamos o vinho. Pedindo os pratos, água e uma entrada a conta costuma ficar em torno de 180 reais. Quando estamos dispostos e enfiar o pé na jaca e pedimos umas caipirinhas e umas cervejas, vai para uns 220 reais.

 

Onde fica – Avenida Mãe Bernarda, 2001 – Juqueí

São Sebastião – SP

 

AS FOTOS FORAM OBTIDAS NO SITE DO RESTAURANTE

 

http://www.restaurantebadaue.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s